quarentenoutubro (5/10/2020): comilança

Desde março que não comemos nada fora de casa. Em função disso, desde março não aproveitamos in loco a abundância um tanto quanto grosseira, saborosa e glutona dos famosos “PFs” paulistanos.

O “PF”, aliás, talvez devesse ser registrado como patrimônio imaterial brasileiro: para além do prato, trata-se de um ritual a que se associa um cenário particular e um conjunto de práticas, vocabulários e códigos próprios. Em São Paulo, por exemplo, não há quem não saiba de cor os dias associados a cada prato e a geografia das melhores edições de cada um em um dado território de lanchonetes, bares e restaurantes: virado à paulista na segunda-feira, feijoada na quarta, massa na quinta e peixe na sexta. Curiosamente, a terça-feira é o dia das variações: bife à rolê, picadinho, carne assada, costelinha, etc.

Será que um dia voltaremos a almoçar no balcão da Leiteria Ita ou do Estadão?


Este desenho participa da série #quarentenoutubro, uma alternativa ao Inktober.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.