o semi-árido e a paisagem

Algumas observações interessantes sobre o tema da paisagem no ensaio “Mundo quase-árido” de Rondinelly Gomes Medeiros, publicado no volume 1 da coletânea Os mil nomes de Gaia — publicação que reúne as palestras e debates promovidos na conferência homônima ocorrida no Rio de Janeiro em 2014. Outra versão do mesmo texto também está disponível na… Continue lendo o semi-árido e a paisagem

paisagem e ambiente

Não será difícil contestar que não só a pretensa objectividade da ciência é altamente falível, como o facto de a ciência da natureza não estar isenta da marca de interesse humano antropocentrado, tantas vezes mais ao serviço da economia e menos da estética. A confusão de antropocentrismo e humanismo tem sido observada por vários autores,… Continue lendo paisagem e ambiente

doodle do dia do trabalhador

Algumas curiosidades sobre o doodle dedicado ao Dia do Trabalhador promovido pela Google neste 1º de maio de 2022. Nele um conjunto de mãos produzem cada uma das letras da palavra “google” a partir de técnicas de trabalho variadas (industriais, agrárias, artersanais, etc). Verificam-se na imagem mãos alusivas a operários da indústria e do campo,… Continue lendo doodle do dia do trabalhador

o twitter protege quem compactua com violação de direitos humanos

Quem tem por hábito acompanhar o Twitter provavelmente testemunhou neste último domingo, 3 de abril de 2022, uma das mais abjetas e asquerosas atitudes por parte de um parlamentar ao manifestar-se na esfera pública: o deputado federal Eduardo Bolsonaro debochou da tortura sofrida pela jornalista Miriam Leitão durante a ditadura civil-militar brasileira — ofendendo, com… Continue lendo o twitter protege quem compactua com violação de direitos humanos

onde você está?

O célebre blogue Kottke.org recentemente recuperou e destacou uma breve matéria publicada na revista CoEvolution Quarterly em 1981. Trata-se de um questionário desenvolvido por Leonard Charles, Jim Dodge, Lynn Milliman e Victoria Stockley pelo qual se pretende que o leitor reflita sobre o quanto ele conhece a respeito do habitat em que está inserido. As… Continue lendo onde você está?

colofão de arquiteturas

Quem caminha pelo centro de São Paulo eventualmente cruza com alguns edifícios que possuem gravados ou afixados na forma de uma placa em sua fachada os créditos de seu projeto e construção. Tal prática era recorrente em edifícios projetados ou construídos por grandes escritórios, como o de Ramos de Azevedo ou de Stockler das Neves,… Continue lendo colofão de arquiteturas

paulo freire, 1964

Há muitos documentos, objetos e depoimentos interessantes expostos na Ocupação Paulo Freire, atualmente em cartaz no Itaú Cultural, em São Paulo. Um deles, no entanto, me tocou em particular. Trata-se de uma portaria do Ministério da Educação e da Cultura datada de 16 de março de 1964 — ou seja, nos últimos dias do governo… Continue lendo paulo freire, 1964

por que ainda usamos PDF?

Nos tempos da graduação, mais de dez anos atrás, havia três maneiras principais de ter acesso aos textos cuja leitura era solicitada pelos professores. A primeira maneira era, é claro, adquirir os livros — o que se revelava simplesmente impossível na maior parte do tempo, seja porque não tínhamos dinheiro, seja porque muitos desses livros… Continue lendo por que ainda usamos PDF?

pedagogia da esperança

Durante as trágicas eleições de 2018 surgiu um movimento nas redes sociais para que comparecêssemos ao dia da votação munidos não de armas — como queriam os apoiadores daquele sujeito desprezível que hoje usurpa o Planalto — mas de livros. Em princípio, juntei-me àqueles que consideravam esta sugestão pedante ou ingênua demais. Com a escalada… Continue lendo pedagogia da esperança