paulo freire, 1964

Há muitos documentos, objetos e depoimentos interessantes expostos na Ocupação Paulo Freire, atualmente em cartaz no Itaú Cultural, em São Paulo. Um deles, no entanto, me tocou em particular. Trata-se de uma portaria do Ministério da Educação e da Cultura datada de 16 de março de 1964 — ou seja, nos últimos dias do governo… Continue lendo paulo freire, 1964

por que ainda usamos PDF?

Nos tempos da graduação, mais de dez anos atrás, havia três maneiras principais de ter acesso aos textos cuja leitura era solicitada pelos professores. A primeira maneira era, é claro, adquirir os livros — o que se revelava simplesmente impossível na maior parte do tempo, seja porque não tínhamos dinheiro, seja porque muitos desses livros… Continue lendo por que ainda usamos PDF?

pedagogia da esperança

Durante as trágicas eleições de 2018 surgiu um movimento nas redes sociais para que comparecêssemos ao dia da votação munidos não de armas — como queriam os apoiadores daquele sujeito desprezível que hoje usurpa o Planalto — mas de livros. Em princípio, juntei-me àqueles que consideravam esta sugestão pedante ou ingênua demais. Com a escalada… Continue lendo pedagogia da esperança

piratear significa também preservar nossa privacidade

Dia desses me dei conta de uma obviedade — mas uma obviedade daquelas de que, de tão introjetadas no cotidiano, nos esquecemos facilmente. Trata-se do seguinte fato: empresas de transmissão de filmes, séries e música sob demanda (“streaming”) reúnem um conjunto significativo de dados sobre as nossas vidas particulares. Corporações como Amazon, Apple, Disney, Google,… Continue lendo piratear significa também preservar nossa privacidade

o logotipo do cnrc

O Centro Nacional de Referência Cultural (CNRC) — ou Centro Nacional de Referências Culturais, a depender de onde aparece a menção à instituição — é um dos mais míticos personagens presentes em narrativas variadas a respeito da trajetória das instituições ligadas ao patrimônio cultural e (em alguma medida) ao design no Brasil. Fundado em 1975… Continue lendo o logotipo do cnrc

anyone who knows what love is will understand

Faz pouco menos de dez anos que foi ao ar pela primeira vez o episódio “15 milhões de méritos” da celebrada série britânica Black Mirror, ainda em sua primeira temporada. Exibido em 11 de dezembro de 2011, trata-se até hoje, entre todos os episódios do programa, daquele que mais parece, à primeira vista, se afastar… Continue lendo anyone who knows what love is will understand

periódicos de arquitetura e urbanismo

Todo aquele que já tentou utilizar a plataforma Sucupira de avaliação de periódicos para tentar encontrar publicações interessantes a fim de encaminhar propostas de artigos certamente já se irritou com a forma como o sistema é travado e retorna resultados inadequados. Entre as revistas indicadas com a avaliação mais alta para a área de arquitetura… Continue lendo periódicos de arquitetura e urbanismo

flávio villaça

Ontem soube do falecimento do professor Flávio Villaça, talvez a mais importante referência teórica em planejamento urbano durante os tempos de minha graduação em Arquitetura e Urbanismo nos anos 2000. Hoje não sou urbanista nem trabalho com planejamento urbano. Apesar disso, não só foi fundamental para minha formação o contato com a obra de Villaça… Continue lendo flávio villaça

a brasília de william pitt

Um dos documentos mais misteriosos e interessantes relacionados aos mitos de fundação do Brasil, à sua independência e à construção do imaginário em torno de seu território é um provável texto apócrifo, produzido na primeira década do século 19, atribuído ao político conservador britânico William Pitt — que foi, por duas vezes, primeiro-ministro de seu… Continue lendo a brasília de william pitt