fuller, o memorioso

Buckminster Fuller é desses personagens tradicionalmente apresentados como a caricatura de si mesmos. Self-made man quintessencial, inventor excêntrico, projetista ao mesmo tempo ousado e pragmático, Fuller é usualmente tido como alguém "à frente de seu tempo" — ainda que, de fato, seja plenamente condizente com ele —, lembrado por hábitos pouco usuais e pelos objetos… Continue lendo fuller, o memorioso

prestes maia sobre brasília

O primeiro texto da antologia organizada por Julio Katinsky e Alberto Xavier dedicada à cidade de Brasília (publicada pela Cosac Naify em 2012) é de Prestes Maia. Trata-se, cabe lembrar, do ex-prefeito e planejador de São Paulo responsável pelo mítico Plano de Avenidas da cidade. O texto é irritantemente datado — não pelos argumentos contrários… Continue lendo prestes maia sobre brasília

mies van der rohe em gotham city

Todos conhecem a residência Farnsworth: clara, limpa, pura. A mais bem acabada expressão tectônica, o mais perfeito posicionamento no sítio, o melhor e mais conciso desenho segundo uma composição geometricamente perfeita. O famoso projeto de Ludwig Mies van der Rohe certamente possui assento garantido no panteão de obras mais significativas do século XX: não seria… Continue lendo mies van der rohe em gotham city

brasil, uma marca

Jair Bolsonaro anunciou no dia 4 de janeiro a nova marca do governo federal. Parece ser um hábito peculiarmente brasileiro o de construir identidades visuais específicas para o governo da vez: ao contrário de outros países, nos quais cada poder e instância do Estado define um sistema perene e consistente de comunicação visual, nossos gestores… Continue lendo brasil, uma marca

uma esquina em lisboa

Passei agora em janeiro poucos dias em Lisboa — foi minha primeira viagem a Portugal e portanto o primeiro contato efetivo que tive com suas cidades e arquiteturas. Para além de todos os efeitos arquitetônicos célebres presentes nos pormenores e fragmentos da obra dos arquitetos contemporâneos portugueses e de sua aclamada Escola do Porto, confesso… Continue lendo uma esquina em lisboa

ian mcharg, gênero e ensino

Em sua autobiografia (intitulada A Quest for Life, publicada em 1996), Ian McHarg vez ou outra tece alguns comentários destacados do texto principal sobre assuntos que lhe parecem laterais àquela narrativa. Em alguns momentos o autor fala de episódios curiosos de sua vida profissional e em outros ele aproveita tais pausas para expor sua opinião sobre… Continue lendo ian mcharg, gênero e ensino

reyner banham sobre drop city

Em 1962 Reyner Banham publicou, na forma de livro-catálogo, um conjunto de apontamentos e comentários a respeito de episódios e edifícios representativos da arquitetura moderna que ele, em particular, apreciava. Na obra, intitulada Age of the Masters. A Personal View of Modern Architecture, Banham divide as obras e episódios a partir de recortes temáticos próprios, destacando… Continue lendo reyner banham sobre drop city

“Após sua visita a Drop City, venha tomar um sorvete no Dairy Joy”

Drop City, a mais famosa comunidade contracultural estadunidense dos anos 1960, vem sendo objeto de um interesse renovado na última década. O livro-reportagem Droppers, de Mark Matthews, por exemplo, publicado em 2010, é um dos produtos deste interesse e já foi citado aqui. Alguns dos depoimentos dos primeiros anos de Drop City são particularmente interessantes. Gene… Continue lendo “Após sua visita a Drop City, venha tomar um sorvete no Dairy Joy”

drop art, c. 1962

Seguem alguns trechos dos depoimentos de Clark Richert e Gene Bernofsky a Mark Matthews, publicados no livro-reportagem Droppers: America's First Hippie Community. Richert e Bernofsky, artistas e personagens da contracultura norte-americana, foram alguns dos criadores de Drop City, considerada a primeira de várias comunidades hippies alternativas que se instalariam no Sudoeste estadunidense ao longo dos anos 1960 e 70.