imagens da quarentena (27/3): panelas

27 de março de 2020, quinto dia da quarentena Bater panelas em janelas sempre nos pareceu uma forma um tanto quanto preguiçosa e patética — para não dizer mesmo coxinha — de protestar. Protesto de verdade, sempre achamos, acontecia na rua, junto com o povo, seja em mobilizações de massa, seja por meio de ação… Continue lendo imagens da quarentena (27/3): panelas

imagens da quarentena (26/3): caixinha d’A internacional

26 de março de 2020, quarto dia da quarentena Alguns anos atrás passeávamos num fim de tarde pela Praça da Figueira, em Lisboa. Era nossa primeira vez naquela simpática cidade e tudo era novidade: deparamo-nos, então, com uma discreta lojinha de bonecas posicionada no corredor de acesso de um edifício residencial. O local — o… Continue lendo imagens da quarentena (26/3): caixinha d’A internacional

jardim marielle franco

Da rua, atravessamos uma breve passarela. O jardim, como um mirante, está implantado no terraço de um pequeno hotel — construção ágil baseada em elementos pré-fabricados — escondido entre a área da Estação do Leste, com suas muitas plataformas enfileiradas, e o muro de arrimo que dá apoio à rua. Numa cidade acostumada com ruas… Continue lendo jardim marielle franco

o iPhone no museu

Em meados do ano passado, num desses sítios de compra e venda de material usado na internet, cruzei com a oferta de um iPhone de primeira geração por um preço bastante atraente. Trata-se da edição do aparelho considerada a "original", de 2007, apelidada pelos seus entusiastas de "iPhone 2G" — já que apenas o modelo… Continue lendo o iPhone no museu

aeroportos

Todo mundo odeia aeroportos. Talvez com exceção de turistas de primeira viagem ou das famílias usualmente deslumbradas com duty free shops ou com as expectativas pelas próximas férias, é raro encontrar alguém que não deteste a experiência de ter de viajar passando obrigatoriamente por esses lugares. Não por acaso, todos que já puderam viajar em boas… Continue lendo aeroportos

fuller, o memorioso

Buckminster Fuller é desses personagens tradicionalmente apresentados como a caricatura de si mesmos. Self-made man quintessencial, inventor excêntrico, projetista ao mesmo tempo ousado e pragmático, Fuller é usualmente tido como alguém "à frente de seu tempo" — ainda que, de fato, seja plenamente condizente com ele —, lembrado por hábitos pouco usuais e pelos objetos… Continue lendo fuller, o memorioso

#inktober2019

Participei pela primeira vez do Inktober agora em 2019. Apesar de viver rabiscando — sobretudo em meio a reuniões, quando parece que o cérebro funciona melhor enquanto as mãos deslizam sobre o papel — há muito que não dedicava mesmo que alguns poucos minutos do dia exclusivamente para esboçar alguns riscos. Ficar muito tempo sem… Continue lendo #inktober2019

prestes maia sobre brasília

O primeiro texto da antologia organizada por Julio Katinsky e Alberto Xavier dedicada à cidade de Brasília (publicada pela Cosac Naify em 2012) é de Prestes Maia. Trata-se, cabe lembrar, do ex-prefeito e planejador de São Paulo responsável pelo mítico Plano de Avenidas da cidade. O texto é irritantemente datado — não pelos argumentos contrários… Continue lendo prestes maia sobre brasília

mies van der rohe em gotham city

Todos conhecem a residência Farnsworth: clara, limpa, pura. A mais bem acabada expressão tectônica, o mais perfeito posicionamento no sítio, o melhor e mais conciso desenho segundo uma composição geometricamente perfeita. O famoso projeto de Ludwig Mies van der Rohe certamente possui assento garantido no panteão de obras mais significativas do século XX: não seria… Continue lendo mies van der rohe em gotham city