Os riscos da mercantilização da cultura no Plano Diretor Estratégico de São Paulo

O texto abaixo foi produzido por mim e por Euler Sandeville como uma crítica à proposta de criação de Polos de Economia Criativa na cidade de São Paulo. Ele também pode ser encontrado em https://medium.com/p/23660f1ced68 e em espiral.fau.usp.br. ••• Os riscos da mercantilização da cultura no Plano Diretor Estratégico de São Paulo Por uma cultura… Continue lendo Os riscos da mercantilização da cultura no Plano Diretor Estratégico de São Paulo

Anúncios

monopólio da História: riscos da regulamentação da profissão do historiador

Tramita no Congresso Nacional um projeto de lei que regulamenta a profissão do historiador. Promovido pela Associação Nacional de História (Anpuh) e de autoria do senador Paulo Paim (PT–RS), o projeto já foi aprovado pelo Senado e aguarda manifestação da Câmara. Independente do mérito da causa — a qual não é o caso de discutir… Continue lendo monopólio da História: riscos da regulamentação da profissão do historiador

representações do centro de são paulo na folha: ingenuidade ou ideologia?

Confesso que não tenho acompanhado os grandes jornais paulistanos. Procuro filtrar as informações que recebo sobre a cidade, sociedade e país por meio de veículos alternativos de mídia. Surpreendi-me, então, com a presença do crítico de arquitetura Fernando Serapião na Folha de S.Paulo, contribuindo com a temática arquitetônica e urbanística. Eu não teria quaisquer razões… Continue lendo representações do centro de são paulo na folha: ingenuidade ou ideologia?

terrorismo de estado e propriedade intelectual

Aaron Swartz suicidou-se. Aparentemente ele não suportava a ideia de perder sua liberdade por um crime que não cometera e por conta de um processo cujas acusações não faziam qualquer sentido. Até há alguns dias eu nunca tinha ouvido falar dele, mas quando soube das circunstâncias de sua morte, entendi que a causa pelos bens… Continue lendo terrorismo de estado e propriedade intelectual

7 motivos para não votar em José Serra no dia 28 de outubro de 2012

Por mais rasas que tenham sido as discussões envolvendo o atual pleito municipal durante o primeiro turno, é fundamental evitar o recrudescimento tucano na cidade de São Paulo: em uma cidade imobilizada, segregada e mesquinha, o fortalecimento dos setores conservadores tende apenas a promover piora violenta da qualidade de vida, sobretudo das populações mais pobres.… Continue lendo 7 motivos para não votar em José Serra no dia 28 de outubro de 2012

"se o crime não compensa… de onde os arquitetos tiram tanto dinheiro?"

A bem-humorada e altamente impactante imagem abaixo era usada como cartaz pelo coletivo ARC (Architect's Revolutionary Council; Conselho Revolucionário de Arquitetos), formado por estudantes da Architectural Association de Londres nos anos 70. Situado em um contexto em que estudantes e jovens profissionais passavam a adotar práticas relacionadas com participação nos processos de projeto e obra,… Continue lendo "se o crime não compensa… de onde os arquitetos tiram tanto dinheiro?"

desconstruindo a foxconn

Em continuidade à postagem anterior, segue um breve documentário realizado por um conjunto de pesquisadores ligados a universidades chinesas e de Hong Kong como parte de uma força-tarefa reunida por autoridades governamentais para averiguar as condições de trabalho na Foxconn, empresa responsável, entre outros, pela produção dos produtos Apple. Em 2010 houve 18 tentativas de… Continue lendo desconstruindo a foxconn

crime tucano durante comício de Serra

Permito-me uma pausa no TFG. A professora Marilena Chauí fechou o ato pró-Dilma que ocorreu hoje na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (FFLCH-USP) de forma muito bonita e emocionante, declarando voto em Roussef e alertando para os perigos antidemocráticos que se reúnem na candidatura Serra. Ressaltou o papel de emancipação dos… Continue lendo crime tucano durante comício de Serra

exílio urbano

originalmente postado em http://notasurbanas.blogsome.com/2010/03/04/exilio-urbano/ Mobilidade urbana é um direito. […] algumas linhas municipais de ônibus que trafegam por regiões periféricas ou por franjas mais distantes de grandes avenidas deixaram de circular aos domingos, dia de descanso e lazer para muitos – mas nem de longe para todos. Estes, que se virassem como desse para chegar… Continue lendo exílio urbano