pedagogia da esperança e os olhos para o gato

Em Pedagogia da esperança, Paulo Freire recorda ideias e episódios que lhe ocorreram ao longo de sua trajetória. Recorda-se, em certo momento, de uma interessante história sobre criatividade, liberdade, coerção e desestímulo: […] Claudius Ceccon, o notável cartunista brasileiro, residente, então, em Genebra, me contou o seguinte caso, ocorrido com Flávio, seu filho. Um dia… Continue lendo pedagogia da esperança e os olhos para o gato

anos 90, pós-modernidade, arquitetura

Em 1996 foi publicado o livro Reconstructing Architecture, editado pelos pesquisadores Thomas Dutton e Lian Hurst Mann. A publicação reúne artigos versando em maior ou menor grau sobre a necessidade e a possibilidade de construção de um "projeto social" — conceito não muito bem definido a princípio, mas que ganha relevos mais claros à medida… Continue lendo anos 90, pós-modernidade, arquitetura

arte-educação na festa do chá

Em 25 de junho deste ano foi publicado no Wall Street Journal um artigo sobre arte-educação assinado por uma tal Michelle Marder Khami em que se discutiam alguns exemplos isolados de métodos de ensino aplicados por professores de arte em algumas escolas estadunidenses. Tratando-se de um jornal conservador e liberal como o WSJ, não deveria… Continue lendo arte-educação na festa do chá

paulo freire: o direito de dizer

Ensinar (ou fazer arquitetura...) exige saber escutar: Sempre recusei os fatalismos. Prefiro a rebeldia que me confirma como gente e que jamais deixou de provar que o ser humano é maior que os mecanicismos que o minimizam. A proclamada morte da História que significa, em última análise, a morte da utopia e do sonho, reforça,… Continue lendo paulo freire: o direito de dizer

paulo freire: ontologicamente esperançoso

Trecho instigante da Pedagogia da autonomia. Continuemos a pensar um pouco sobre a inconclusão do ser que se sabe inconcluso, não a inconclusão pura, em si, do ser que, no suporte, não se tornou capaz de reconhecer-se interminado. A consciência do mundo e a consciência de si como ser inacabado necessariamente inscrevem o ser consciente… Continue lendo paulo freire: ontologicamente esperançoso

paulo freire, comunicação ou extensão?, trecho capítulo 3

originalmente postado em http://notasurbanas.blogsome.com/2010/05/13/paulo-freire-comunicacao-ou-extensao-trecho-capitulo-3/ pp 73–74 […] parecem-nos indispensáveis algumas considerações finais, neste capítulo, a propósito do aspecto humanista em que deve estar inspirado o trabalho de comunicação entre técnicos, num processo de reforma agrária, e camponeses. Aspecto humanista de caráter concreto, rigorosamente científico, e não abstrato. Humanismo que não se nutra de visões de… Continue lendo paulo freire, comunicação ou extensão?, trecho capítulo 3

[tfg] pedagogia da esperança

originalmente postado em http://notasurbanas.blogsome.com/2010/03/06/tfg-pedagogia-da-esperanca/ Este é um dos trechos, talvez pela simplicidade, talvez pela força expressiva, mais citados de toda a obra de Paulo Freire. Foi publicado em Pedagogia da esperança, um relato informal e inspirador da trajetória do educador-educando escrito em 1992. Freire descreve a experiência que teve com trabalhos de extensão agrícola direcionados… Continue lendo [tfg] pedagogia da esperança

rodrigo lefèvre: notas de um estudo sobre os objetivos do ensino de arquitetura… [1]

originalmente postado em http://notasurbanas.blogsome.com/2010/01/05/rodrigo-lefevre-notas-de-um-estudo-sobre-os-objetivos-do-ensino-de-arquitetura-1/ LEFÈVRE, Rodrigo. Notas de um estudo sobre os objetivos do ensino de arquitetura e meios para atingi-los em trabalho de projeto. São Paulo: FAUUSP (mimeo), 1978. SIBI-USP: FAU/F720.1 L521n *** Texto inspirador e provocativo. Estabelece perspectivas de pensar o trabalho de projeto no ensino de arquitetura como forma de construção do… Continue lendo rodrigo lefèvre: notas de um estudo sobre os objetivos do ensino de arquitetura… [1]